Minhas Temporárias Companheiras

 

Minhas Temporárias Companheiras

 

Pensei que eram minhas companheiras porque me visitavam com frequência. Uma era a tensão mental, vinha sempre soberana, jeitosamente avassaladora, sensualmente dominadora. Quando chegava, nublava tudo ao seu redor, clamava por atenção personalizada, demandava todas as percepções e sensações. Tinha também a frustração. Esta era meio fúnebre, um pouco cabisbaixa, entrava sempre de mansinho, meio tímida, mas quando passava, em seu caminho deixava um enlameado rastro lúgubre, meio pútrido, meio pestilente, mas intenso e ardente. A outra era a insegurança. Ela aparecia sempre de repente, como um raio no firmamento, adorava dar surpresas e, quanto chegava, parecia uma inquisidora, pois gostava de questionar, de fazer afirmações que destruiam os pilares da convicção e da certeza. Inquestionavelmente, entre todas elas, era a mais talentosa e persistente, pois não abdicava de seu objetivo até alcançá-lo. Então, certo dia, quando estava quase concluindo que havia sido afortunado por ter estas três vigorosas e majestosas amantes, recebi outra inesperada visita, ela entrou de mansinho, tinha uma aparência confusa, mas andava com leveza e altivez, seus movimentos pareciam inentendidos apesar de serem estruturados e precisos. Ela aprochegou-se, sentou-se ao meu lado e, sem pestanejar, de uma maneira serena, íntegra e implacável, contou-me a história da vida daquelas que estavam se apoderando de minha essência. As três, que ao meu lado ouviam a narrativa sobre suas próprias existências, calma e paulatinamente, foram desprendendo-se de mim, despregando-se umas das outras e, cada uma para um canto, partiram. Minha visita, que depois descobri ser apaixonada por relatar contos e histórias, ficou ainda por um longo tempo antes de partir. Mas, desde então, ela tem sido cortêz o suficiente para visitar-me com frequência. Já não a percebo como confusa ou inentendida, mas sim, articulada e esclarecedora. Na verdade, confesso que estou apaixonado por ela. Espero que um dia ela aceite minha proposta, pois sonho como seria fascinante passar o resto da vida ao lado da sabedoria. (Tadany – 01 06 11)

 

PS: Para citar este texto:

Cargnin dos Santos, Tadany. Pensamento 881. www.tadany.org

 


 





A corrupção é primogênita da nossa passividade, minha e tua. Precisamos aceitar o nosso dever de cidadãos para mudar as nefastas realidades que assolam a nossa pátria. (Tadany)
Tudo é mental. Nada existe além de nossa Consciência. (Tadany)
A arte é o orgasmo contínuo da Inteligência. (Tadany)



--
Você recebeu essa mensagem porque está inscrito no grupo "Dividindo a Vida" dos Grupos do Google.
Para cancelar inscrição nesse grupo e parar de receber e-mails dele, envie um e-mail para dividindoavida+unsubscribe@googlegroups.com.
Para postar nesse grupo, envie um e-mail para dividindoavida@googlegroups.com.
Acesse esse grupo em https://groups.google.com/group/dividindoavida.
Para mais opções, acesse https://groups.google.com/d/optout.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário