Escassos




Escassos

Sempre muito tarde, mesmo 
Entre sombras e suspiros 
Neste oceano, à esmo 
Penso em ti, adoráveis delírios. 

Se sou sonhos, ou solidão 
Sem futuro, nem passado 
Me perco nos afagos, tuas mãos 
Corpo sedento, sentimendo alado 

Cruzamentos sem ruídos, sossêgo 
Teus olhos que descortinam, imensidão 
No âmago de tua luz, aconchêgo 
Entre idas e vindas, transmutação. 

Raros encontros, devaneios universais 
Som de estrelas, constelações sinfônicas 
Tua singular fantasia, deleites astrais 
Viagens inexprimíveis, confluências platônicas 

Mesmo, sempre muito tarde 
Entre brilhos e sinais 
Adormecemos unidos, sem alarde 
Absortos mutuamente, anseios existenciais. (Tadany - 14 02 14) 

PS: Para citar este Poema: 
Cargnin dos Santos, Tadany. Escassos. www.tadany.org ® 



A corrupção é primogênita da nossa passividade, minha e tua. Precisamos aceitar o nosso dever de cidadãos para mudar as nefastas realidades que assolam a nossa pátria. (Tadany)
Tudo é mental. Nada existe além de nossa Consciência. (Tadany)
A arte é o orgasmo contínuo da Inteligência. (Tadany)



--
Você recebeu essa mensagem porque está inscrito no grupo quot;Dividindo a Vida" dos Grupos do Google.
Para cancelar inscrição nesse grupo e parar de receber e-mails dele, envie um e-mail para dividindoavida+unsubscribe@googlegroups.com.
Para postar nesse grupo, envie um e-mail para dividindoavida@googlegroups.com.
Acesse esse grupo em http://groups.google.com/group/dividindoavida.
Para mais opções, acesse https://groups.google.com/d/optout.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário