Renúncia


Renúncia

Renunciei ao mundo e às suas infindas volições e afazeres. Para celebrar tão importante acontecimento, ergui uma exuberante estátua em homenagem à letargia. Construí um parque para a inanição. Organizei um altar à preguiça. Decorei o jardim com plantas de moleza, flores de inércia e arbustos de sonolência. Depois, quando terminei a grande obra em veneração ao nada fazer, dei-me conta de quanta imaginação, esforço e diligência tinha alocado na construção do culto à preguiça. Mesmo sem querer, sempre estive ativo e criativo. Então, num momento de lucidez existencial, desisti da absurda idéia de nada fazer e, como consequência, virei às costas ao plano da letargia e caminhei em direção à vontade e a atividade. Vez que outra revisito a pretérita edificação e, confesso, nela me inspiro, não pela sua simbologia, mas pela imaginação, riqueza de detalhes e harmonia arquitetada. No final uma renúncia levou-me à renunciar a própria renúncia. (Tadany – 29 07 11) 

PS: Para citar este texto: 
Cargnin dos Santos, Tadany. Pensamento 1044. www.tadany.org ® 



--
Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no grupo "Dividindo a Vida" dos Grupos do Google.
Para cancelar a inscrição neste grupo e parar de receber seus e-mails, envie um e-mail para dividindoavida+unsubscribe@googlegroups.com.
Para postar neste grupo, envie um e-mail para dividindoavida@googlegroups.com.
Visite este grupo em http://groups.google.com/group/dividindoavida.
Para obter mais opções, acesse https://groups.google.com/groups/opt_out.
 
 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário