Avalanches do amor


Avalanches do amor 

Escalar acima dos picos mais altos 
Rastejar abaixo dos mais lamacentos poços 
Abrir o peito para arrancar a alma, de sobressalto 
Desquitar-se do raciocínio, um desbaratado alvoroço 
Sentir na carne a dor da ausência, um físico assalto 
Estar cego de sua indelevel dependência, um subordinado troço 
Avalanches do amor, quando nos escraviza, nos tem envolto 
Calafrios ardentes, arrebatos metafísicos, ímpetos inconsultos 
Esquecimento de si mesmo, à deriva no oceano, perdido, mas esbelto 
Amor. Amor. Amor. De tuas imperiosas sentenças, desnecessito qualquer indulto. (Tadany – 16 02 12) 

PS: Para citar este Poema: 
Cargnin dos Santos, Tadany. Avalanches do amor. www.tadany.org ® 



--
Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no grupo "Dividindo a Vida" dos Grupos do Google.
Para postar neste grupo, envie um e-mail para dividindoavida@googlegroups.com.
Para cancelar a inscrição nesse grupo, envie um e-mail para dividindoavida+unsubscribe@googlegroups.com.
Para obter mais opções, visite esse grupo em http://groups.google.com/group/dividindoavida?hl=pt-BR.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário