A Casa da minha Vida


A Casa da minha Vida

Quando olho pelo quarto, vejo a estrada da vida 
Na janela da sala, encontro o labirinto dos sonhos 
Na pia do banheiro, vejo o redemoinho da esperança 
Na cadeira da cozinha, está sentada a paciência 
Nas flores do jardim, germinam sementes de alegria 
No buraco do sótão, enterrei a caixa da ansiedade 
No luz do lampião, brilha o espectro do amor 
No ralo do tanque, despejei o balde do medo 
Do guarda-roupa do quarto, tirei a sacola da motivação 
Na lixeira do pátio, atirei o saco da inveja 
Na prateleira da sala, expus o quadro da verdade 
Nesta casa que vivo, se tem tudo e não se tem nada 
Porque as coisas que necessito estão todas à disposição 
Mas se eu estagnar elas continuarão lá 
Enquanto que se mover-me, eu as encontro 
E movendo-me, chego ao desejo de querer 
E querendo, penso que tudo posso 
E pensando, posso tudo o que penso 
Assim, no construir do destino 
Tudo o que penso, posso 
E o que posso, se manifesta na vida. (Tadany – 16 12 03) 

PS: Para citar este texto: 
Cargnin dos Santos, Tadany. A Casa da minha vida. www.tadany.org® 


--
Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no grupo "Dividindo a Vida" dos Grupos do Google.
Para postar neste grupo, envie um e-mail para dividindoavida@googlegroups.com.
Para cancelar a inscrição nesse grupo, envie um e-mail para dividindoavida+unsubscribe@googlegroups.com.
Para obter mais opções, visite esse grupo em http://groups.google.com/group/dividindoavida?hl=pt-BR.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário